Thursday, May 20, 2010

Unidos para sempre...

Hoje vi isto e nos dias que correm acho interessante, senão vejamos:

Ficaremos numa Federação Ibérica dentro de uma União Europeia dentro da Europa, qualquer dia só faltava ficarmos dentro de Espanha dentro da União Europeia a sustentar Espanha para esta ir ao fundo depois de nós.

Será uma união útil também, porque na situação de crise em que estamos iremos melhorar, passaremos a ser uma Federação em grave crise e não Portugal em crise, talvez sejamos menos falados e as denominadas agências de rating nos coloquem em melhor posto.

Mas não seremos os primeiros a pensar nisso, aliás e para quem está algo atento ao futebol, o senhor Gilberto Madaíl (presidente da Federação Portuguesa de Futebol) já começou a por em prática e somos candidatos com Espanha à organização do Mundial de Futebol que para Portugal traria meia dúzia de joguitos, ah e daqueles menos importantes.

Será mais ou menos como no resto das coisas, primeiro seria Espanha e depois a província. Não que eu seja de acordo ou deixe de ser, mas por agora prefiro que façam uma boa cooperação e esqueçam a cooperação politica ou partidária porque os nossos políticos iam dar uma não muito boa imagem do que se faz em Portugal.

Já agora, quanto ao estudo e suas datas, acho que foi feito pela altura dos protestos de Valença do Minho e que as chamadas foram quase todas para lá, é por agora a melhor explicação que encontro para que se diga que os portugueses estão mais atentos aos problemas de Espanha, maioria nem sequer está atento aos seus problemas ou de Portugal quanto mais Espanha.

Mas estudos são estudos e não os podemos contrariar, apenas com a nossa humilde e fraca opinião, pois eles têm dados para nos esfregar na fuça...

2 comments:

O Pai do Organista said...

Bom....

Quem me conhece sabe o que penso relativamente a estados federados...

Sou um grande defensor e impulsionador quanto aos Estados Federados Europeus. Relativamente a esta noticia em si, pouco ou nada diz, e de facto é muito fácil fazer um estudo partidário (não de partidos políticos), sobre matérias óbvias, senão pensemos:

Pergunta: - "Gostaria de ter um ordenado Português ou Espanhol?"
Resposta (óbvia): - "Espanhol"

Ora isto não quer dizer grande coisa, uma vez que se a pergunta fosse:

Pergunta: - "Gostaria de ter um ordenado Português ou Luxemburguês?"
Resposta (mais que óbvia): - "Luxemburguês"

outro mau exemplo:

Pergunta: - "Gostaria de ter um sistema de saúde Português ou Dinamarquês?"
Resposta (óbvia): - "Dinamarquês"

O Português, apesar de sábio na sua essência continua a pensar que a galinha da Vizinha, é melhor que a dele, e continua a considerar que tem um copo meio vazio, enquanto todos os restantes pensam num copo meio cheio.

Julgo que este tipo de estudos não traz nada de novo, e baseia-se apenas em perguntas chave que não demonstram a realidade.

Ou seja, a maioria Portuguesa (excepto talvez aqueles que não votam, mas julgam-se no direito de escolher), não quer fazer parte da Espanha (mesmo no tal estado federado Ibérico), de TODO!!

Para além de que não faz sentido criar uma Federação Ibérica no contexto Europeu.


MAS, julgo que a UE vai num futuro próximo ter de resolver estas divergências unilaterais/nacionalistas e começar a pensar bem o que pretende. E aí espero que finalmente comecemos a co-existir num estado federado Europeu, em que o "país" passa a ser a UE, e dentro desse país passa a existir "x" estados federados!

É necessária uma intervenção urgente na União Europeia.

É necessária uma intervenção urgente a nível económico, é necessária uma intervenção urgente a nível social, é necessária uma intervenção urgente na infra-estrutura política conjunta. É necessário que a política europeia se torne mais que um modelo ou directiva. É necessário que seja uma política única, e respeitada por todos!

É necessário determinar se nos encontramos de facto unidos, ou se pretendemos seguir cada um Orgulhosamente Sós o futuro. A teoria do "o nosso País pertence e defende a UE, mas quero é dar tudo de bom aos meus cidadãos", não pode continuar...

É urgente esquecer o "país" Portugal, o "país" Espanha, o "país" França, e pensar no Estado Federado Português, Estado Federado Espanhol ou Francês!

Como diriam os fiéis mosqueteiros, UM POR TODOS E TODOS POR UM!

Nuno Revés said...

Eh pá, depois de ler o post e de ler o comentário do meu querido e estimado afilhado, não poderia mesmo deixar de comentar este post.

Pois eu sou TOTALMENTE CONTRA os Estados Federados Europeus ou a Federação Ibérica ou o raio que parta tudo o que seja esse tipo de uniões que nos deixam sempre no papel dos desgraçadinhos!

Um país que foi dono de metade do mundo, que conquistou e dominou terras a milhares de quilómetros, que povoou e aculturou centenas de lugares, não merece um papel menor no desenvolvimento socio-económico da Europa! De todo! Não, não estou a viver do passado. E não, não estou bêbado. Tenho é demasiado orgulho em ser português e em falar a língua portuguesa.

Sempre fui totalmente contra a UE, quem me conhece sabe-o desde sempre. Na Europa, devido à sua antiguidade como continente povoado, as culturas e povos são variados. O que para um português é perfeitamente normal, como uma mulher depilar as axilas, na Escandinávia é motivo de admiração. Quase todos falamos línguas diferentes, temos costumes diferentes... E quem comandaria os tais EFE?! Um belga? Um inglês? Um francês?! Ou teríamos de escolher alguém feito com cromossomas de várias nações?!

Cada país tem direito à sua individualidade como Nação! Vamos redescobrir o orgulho na nossa terra, por favor. Não vamos ceder ao interesse económico só porque sim. Comprem produtos portugueses e boicotem os produtos estrangeiros... Querem um exemplo?! Eu uso sabonetes "Musgo Real". Não, vocês não estão interessados na minha higiene, eu sei... Mas sabem quem é o fabricante? ACH Brito. Não vos diz nada?! É possível... Pois quando estava quase na falência, esta empresa do Norte foi salva pela inteligência da neta ou bisneta do seu funddor e é, actualmente, uma grande exportadora de produtos de higiene para diversos países. E, sim, cada sabonete custa quase € 2,00. Ou deveria dizer 400$00?! :-)

Resta-me só dizer que tenho ainda uma réstea de esperança que Portugal abra os olhos e reimplante a Monarquia. Aqui, sim, estou a ser lírico... Deve ser da hora...